Programa Investe Turismo é pauta da audiência pública na Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados

Em Fortaleza (CE), o presidente da Embratur participou por videoconferência da audiência pública que debateu o programa Investe Turismo, criado em 2019, conjuntamente pela Embratur, Ministério do Turismo e Sebrae

 

Na tarde desta segunda-feira (29), o presidente da Embratur, Carlos Brito, participou da Audiência Pública virtual convocada pela Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados para tratar do Investe Turismo. O programa, desenvolvido conjuntamente pela Embratur, Ministério do Turismo e Sebrae, tem como objetivo principal acelerar o desenvolvimento, aumentar a qualidade e a competitividade em 30 Rotas Turísticas Estratégicas do Brasil, com foco na geração de empregos – envolvendo 158 municípios brasileiros.

O debate foi proposto pelo deputado Eduardo Bismark (PDT-CE), com a intenção de analisar a efetividade do projeto, além de propor ações no desenvolvimento do programa. Além dos deputados titulares e suplentes da comissão temática, foram convidados o Ministro do Turismo, Gilson Machado Neto e o Diretor-Presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae, Carlos Melles. Em decorrência do cumprimento de agenda no Banco do Nordeste nesta manhã, o Presidente da instituição financeira, Romildo Rolim, também acompanhou a discussão virtual.

O Ministro Gilson Machado ponderou que o país vive um período de sobrevivência do setor. “Nós estamos mantendo a sobrevivência das empresas, principalmente no tocante ao fluxo de caixa. É o setor que, infelizmente neste momento, é o responsável por mais de 8% dos empregos brasileiros, com mais de sete milhões de empregados. Nós estamos lutando para que isso não tome uma proporção ainda maior”.

O presidente Carlos Brito destacou que além das ações de apoio ao trade nesse momento de dificuldade, a Embratur tem trabalhado, como nunca, de maneira integrada com o Ministério do Turismo. “A Embratur apoia diariamente, com suas ações e campanhas, o turismo brasileiro durante este período de dificuldades sem precedentes vivido pelo setor nos mais diversos aspectos. A pandemia traz incertezas aos turistas e a Agência não se furta de suas responsabilidades. A Embratur e o Ministério do Turismo nunca estiveram tão alinhados como estão hoje, atuando de maneira totalmente integrada para que as ações sejam concretas e assertivas”.

O Presidente do SEBRAE, Carlos Melles, apresentou algumas das ações executadas pelo Programa Investe Turismo desde a sua criação. As ações foram organizadas em quatro linhas de atuação: fortalecimento da governança; melhoria dos serviços e atrativos turísticos; atração de investimentos e apoio ao acesso a serviços financeiros; marketing turístico e apoio à comercialização. Foram mais de R$ 300 milhões executados nos roteiros turísticos, com mais de 1,5 milhão de Micro e Pequenas Empresas atendidas.

O deputado federal, Eduardo Bismark (PDT-CE), propositor do debate na Comissão, agradeceu a presença das autoridades do Turismo brasileiro no estado do Ceará e, solicitou ao Ministro Gilson Machado, a inclusão da Rota das Falésias nos roteiros prioritários – além dos indicadores de resultados na efetividade do Programa. “Esse programa gerou uma expectativa muito grande no Brasil inteiro, justo pela sua qualidade. Nós já havíamos pedido ao Ministério um olhar um pouco maior para o nosso estado do Ceará, no sentido de incluir também a Rota das Falésias, que inclui treze municípios, sendo oito no Ceará e cinco no Rio Grande do Norte. Além dessa solicitação, o que me traz aqui também, foi o pedido de Requerimento de Informações que fiz ao Ministério sobre os indicadores deste programa, para enxergarmos os resultados positivos já apresentados”.

Cabe destacar que, no caso específico da Embratur, atualmente a entidade não faz parte do acordo de cooperação. Pois, o signatário do referido instrumento era a Embratur Autarquia – Instituto Brasileiro de Turismo. Com a sua transformação em Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Serviço Social Autônomo) todos os direitos e obrigações do extinto Instituto foram transferidos para o Ministério do Turismo. Porém, a Agência está elaborando, conjuntamente com MTur e Sebrae, a minuta de um novo acordo que contemplará a inclusão da instituição.