ENTRADA DE ESTRANGEIROS

Com 3,2 milhões de visitantes em 5 meses, chegada de turistas internacionais ao Brasil sobe 8,6% em 2024

Desempenho é o terceiro maior da série histórica, iniciada em 1995; destaque para número de chilenos, que cresceu 46,3% de janeiro a maio

Sebrae Embratur/Divulgação
Arraial D'Ajuda, no litoral Sul da Bahia

17/06/2024 – De janeiro a maio deste ano, o Brasil recebeu 3.264.765 de turistas internacionais. O número no acumulado dos cinco primeiros meses cresceu 8,6% em comparação com os primeiros cinco meses de 2023, quando o registro de entradas foi de 3.005.505. O desempenho é o terceiro melhor da série histórica, iniciada em 1995, atrás apenas de 2017, com 3,3 milhões, e 2018, com 3,4 milhões, e representa um crescimento de 4,3% em relação ao mesmo intervalo de 2019, antes da pandemia de Covid-19, quando o registro de visitantes estrangeiros foi de 3.131.108. 

Os dados são da Embratur, do Ministério do Turismo (MTur) e da Polícia Federal (PF) e têm como um dos principais destaques a chegada de turistas chilenos, que tiveram um salto de 46,3% no período (ver mais abaixo). 

O presidente da Agência, Marcelo Freixo, comemorou o crescimento do turismo internacional no período. “Esse início de ano tem se mostrado muito positivo para o Brasil, tanto em entrada de turistas quanto de divisas”, disse. “Isso vem acontecendo porque temos trabalhando para que o mundo inteiro saiba que o Brasil voltou, como costuma dizer o presidente Lula. Nos posicionamos nos temas mais importantes dos nossos tempos, como meio ambiente, sustentabilidade, respeito à diversidade e democracia, construindo esse Brasil. E as pessoas querem visitar o nosso país, que é diverso, continental e ocupa um papel fundamental nas soluções dos problemas econômicos e ambientais do mundo”, completou.

O ministro do Turismo, Celso Sabino, também demonstrou otimismo com o resultado. “Com esses números promissores, o Brasil reforça a imagem de estar no topo da lista de destinos mais desejados na América Latina. E a expectativa é que o setor continue a crescer nos próximos meses, principalmente com a realização de eventos importantes, como a reunião do G20 e o Rock in Rio. Uma movimentação turística que impacta no desenvolvimento econômico e na geração de empregos no país”, declarou.

Principais emissores
Os principais emissores de turistas para o Brasil nos primeiros cinco meses de 2024 foram a Argentina, com 1.132.872, os Estados Unidos, com 298.021, e o Chile, em terceiro lugar, com 294.485. O desempenho do país andino, que representa um aumento percentual de 46,3% nas entradas em relação ao mesmo período do ano passado – quando enviou 201,3 mil turistas para o Brasil –, é explicado, em parte, pela ampliação da malha aérea entre os países, que contou com a participação da Embratur nas interlocuções com companhias aéreas, por exemplo. São 41,5% mais voos que em 2019 e 2,4 milhões de assentos a mais.

O Chile se transformou em um emissor estratégico para os destinos brasileiros, uma vez que a Argentina, ainda em primeiro no ranking, tem apresentado quedas no volume de turistas por conta do agravamento na crise econômica local. No acumulado, os hermanos tiveram uma queda nas entradas de 9,4%, número que só não é maior por conta de estratégias adotadas pela Embratur para mitigar a redução na frequência de visitas, desde que a tendência foi identificada.

Em quarto lugar vem o Paraguai, com 243.479, e em quinto o Uruguai, com 210.915. Cinco países europeus complementam o top 10: França, com 97.207, Portugal, com 91.885, Alemanha, com 83.387, Reino Unido, com 74.181, e Itália, com 61.661.

Em relação ao aumento no número de visitantes, a França ficou em segundo lugar, com 32%. De janeiro a maio do ano passado, o país tinha registrado 73,7 mil turistas no Brasil. E a Itália, terceiro, apresentou um crescimento de 21,7% no comparativo com 2023, quando 50,7 mil italianos desembarcaram por aqui. A Alemanha cresceu 18,2%, o Reino Unido, 17,4%, Portugal teve aumento de 16,5%, o Uruguai, de 12,9%, o Paraguai de 12,4%, e os Estados Unidos de 8,4%.