POLÍTICAS PARA O TURISMO

Embratur e BRICS Women’s Business Alliance pretendem apresentar turismo em próxima reunião de bloco, na Rússia

Presidente da Agência, Marcelo Freixo, e representante brasileira do grupo, Mônica Monteiro, firmaram parceria para divulgar ações do setor em dois mercados prioritários: China e Rússia, país anfitrião da reunião do BRICS em 2025

Renato Vaz/Embratur
Em reunião, foi discutida a elaboração de um plano de trabalho voltado para a China e a Rússia

09/07/24 – O presidente da Embratur, Marcelo Freixo, se reuniu com a representante brasileira do BRICS Women’s Business Alliance e presidenta do Fórum Nacional da Mulher Empresária (FNME) da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Mônica Monteiro, nesta terça-feira (9), na sede da Agência, em Brasília. Acompanhado da coordenadora de Cultura e Gastronomia da Embratur, Ana Paula Jacques, Freixo debateu com Mônica Monteiro sobre como trabalhar melhor a pauta do turismo quando o Brasil assumir, em 2025, a liderança do BRICS – grupo de países emergentes que têm o objetivo de aumentar o crescimento econômico.

Atualmente, fazem parte do BRICS os países cujas iniciais estão no nome do bloco – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul –, além da Arábia Saudita, Irã, Egito, Etiópia e Emirados Árabes Unidos, que passaram a integrar o grupo este ano.

De acordo com Mônica Montenegro, o planejamento de ações a ser desenvolvido no ano que vem envolve seis pautas, entre elas, saúde e biotecnologia, agricultura, inovação, agricultura, indústria criativa e turismo. O plano de trabalho sugerido pela presidenta do FNME é desenvolver ações voltadas para a China – segunda maior economia do mundo – e para a Rússia, país anfitrião da próxima reunião do BRICS, marcada para outubro de 2025. 

“Indústria criativa e turismo são indissociáveis e, ações em turismo são reivindicações da China e da Rússia. Estamos, juntamente com a Embratur, pensando em como apresentar o turismo a esses dois mercados que já consomem turismo de natureza, de observação, gastronomia e cultura do Brasil”, reforçou Mônica Montenegro. 

Freixo afirmou que russos e chineses têm muito interesse nos destinos brasileiros, porém o Brasil ainda esbarra em problemas de conectividade aérea.

“Estamos empenhados em melhorar a conectividade aérea com esses países. Uma vez aumentando o número de voos e assentos, melhoramos a oferta de mais destinos, sobretudo os de preferência dos mercados russo e chinês”, completou. 

O presidente Marcelo Freixo afirmou ainda que, juntamente com a equipe da Embratur, irá trabalhar em um mapa do turismo dos países do BRICS. O documento irá trazer informações como conectividade, mercados e potencialidades em turismo dessas nações.